É muito difícil para uma pessoa ou sua família tomar a decisão de morar em um residencial no envelhecer. “Mudando de endereço: como escolher um residencial geriátrico”, da assistente social Michelle Bertóglio Clos, é uma obra que trata do assunto com seriedade, leveza e muita objetividade.

A psicóloga Maria Celia de Abreu, coordenadora do Ideac e autora do livro “Velhice, uma nova paisagem”, se encantou com a publicação: “É um livro precioso, bem apresentado, claro, verdadeiro e corajoso. Só poderia ter sido escrito por uma profissional com sólido conhecimento teórico, anos de vivência e muita reflexão sobre o tema”.

A coordenadora do Ideac diz que desconhece outro livro que se dirija ao pretendente a uma Instituição de Longa Permanência para Idoso (ILPI) de modo tão direto e completo, esclarecendo todos os pontos que costumam causar indagações e angústias.

O livro traz um passo a passo sobre questões como localização, infraestrutura, rotinas e valores como itens fundamentais durante a pesquisa por opções de residência, além de histórias de pessoas idosas, profissionais e familiares com o objetivo de auxiliar na compreensão de que ir para um residencial geriátrico pode ser apenas uma troca de endereço.

Michelle Bertóglio Clos tem especialização em psicopedagogia institucional, mestrado em Educação pela UFRGS e doutorado em Gerontologia Biomédica pelo Instituto de Geriatria e Gerontologia da PUCRS. É fundadora e diretora técnica da Senescentis – Longevidade e Qualidade de vida. Também é professora universitária, e desenvolve pesquisas e atividades em instituições de longa permanência para idosos desde 2005, a maior parte relacionadas ao processo de adaptação de idosos a estes ambientes e aos cuidados em fim de vida.

Versão impressa pode ser adquirida pelo site www.senescentis.com.br