Se você tem mais de 50 anos, sabe ler e escrever, mas com dificuldade e quer melhorar essas práticas, venha conhecer o Curso de Aperfeiçoamento em Leitura e Escrita, que será realizado pelo Ideac a partir de agosto, em sua sede no Jardim Paulista. Se esse não é o seu caso, mas você conhece alguém assim, encaminhe-o para o Ideac, pois isso pode fazer uma boa diferença na vida dessa pessoa.

As aulas ficam por conta da experiente professora Maria Angélica Durães Mendes de Almeida, que garante: “Somos capazes de aprender durante toda a nossa existência”.  Os interessados podem participar de uma conversa sem compromisso no dia 23 de julho, das 7 às 8h30 ou das 18h30 às 20 horas, para conhecer os objetivos do curso e a professora.

Maria Angélica diz que as grandes instituições de ensino já sabem que o conhecimento não tem idade há algum tempo e investem na aprendizagem deste público há anos: “A PUC-SP acaba de comemorar 25 anos da existência da “Universidade Aberta à Maturidade”. E a USP, em seu “Programa Universidade Aberta à Terceira Idade”, oferece disciplinas regulares dos cursos de graduação da USP em todos os seus campi. Estes são apenas dois exemplos do quanto já é senso comum que na maturidade é possível aprendermos o que quisermos”.

A base do trabalho de Angélica segue o pensamento de Paulo Freire sobre a educação ser acessível às camadas populares e promover sua integração, inserção e reconhecimento social. “Todo o processo de ensino-aprendizagem parte do aluno: os temas mais significativos de sua vida, seu universo vocabular e o contexto em que vive. O mais importante é o aluno se sentir capaz. É ter o reconhecimento de que os saberes que ele já possui são considerados e validados pelo educador. E ter vontade de ampliar os horizontes e de participar de modo mais efetivo na sociedade letrada”, diz.

Sobre Maria Angélica Durães Mendes de Almeida

Carioca, vive em São Paulo desde 1962. Concluiu o Ensino Médio no Colégio Objetivo, onde participou do grupo de Teatro dos Alunos do Colégio Objetivo (TACO). Formada em Letras pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, ainda estudante começou a lecionar em escola de educação básica, tendo percorrido os cursos de Fundamental 1, Fundamental 2 e Ensino Médio lecionando Português e Literatura. Durante a graduação, participou do Projeto Rondon promovendo um curso de formação em Redação para professoras da educação básica em Irecê na Bahia. Também trabalhou como Coordenadora Pedagógica no Colégio Hugo Sarmento, escola particular na zona oeste de São Paulo. Posteriormente fez graduação em Pedagogia, assumindo depois a direção pedagógica da escola particular em que atuou por 32 anos. Fez Mestrado na PUC-SP no Departamento de Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem – LAEL. Lá desenvolveu a dissertação “Instrumentos Mediadores em Reunião Pedagógica” que obteve nota máxima pela banca. Cursou, ainda, duas especializações. A primeira, pela UNIFRAN, em Relações Interpessoais e Construção da Autonomia Moral. A outra, pela ECA-USP, em Arte na Educação. Em 2018 iniciou o trabalho social no Projeto PALCO como assessora pedagógica. O projeto promove o ensino da arte para pessoas em situação de vulnerabilidade social em escolas públicas e ongs. Desde 2018, exerço o cargo de diretora efetiva da Escola Estadual Regente Feijó, na Freguesia do Ó, zona norte de São Paulo.Leitura e escrita

A partir de agosto (duração 3 meses)

Duas aulas semanais: segundas e terças, às 7 da manhã (até 8h30)ou 18h30 da tarde (até 20h)

Local: Rua Pamplona 1326, 11º. Andar

Inscrições: email: ideac@uol.com.br

WhatsApp: (11) 999463554

Valor: R$ 130,00 cada quatro semanas, com material incluído.