Maria Luiza Monteiro e Maria Alice Paulino fizeram o Curso de Aperfeiçoamento em Leitura e Escrita do Ideac, com a professora Maria Angélica Durães Mendes de Almeida, e ficaram muito felizes com os resultados. A proposta, um sonho da coordenadora do Ideac, a psicóloga Maria Celia de Abreu, foi abrir espaço para que pessoas com mais de 50 anos pudessem melhorar suas práticas.

A base do trabalho de Angélica segue o pensamento de Paulo Freire sobre a educação ser acessível às camadas populares e promover sua integração, inserção e reconhecimento social. “Todo o processo de ensino-aprendizagem parte do aluno: os temas mais significativos de sua vida, seu universo vocabular e o contexto em que vive. O mais importante é o aluno se sentir capaz. É ter o reconhecimento de que os saberes que ele já possui são considerados e validados pelo educador. E ter vontade de ampliar os horizontes e de participar de modo mais efetivo na sociedade letrada”, diz.

Na foto, estão Cleide Martins, coordenadora dos cursos do Ideac, a professora, as alunas Maria Alice e Maria Luiza e Maria Celia de Abreu.